Os EUA reiteram que o plano de autonomia de Marrocos para o Sahara Ocidental é «sério, credível e realista».

Arquivo
Arquivo – Naser Burita, Ministro dos Negócios Estrangeiros de Marrocos – MAP

A subsecretária de Estado norte-americana para os Assuntos da Organização Internacional, Michele Sison, reiterou de Rabat que o plano de autonomia apresentado por Marrocos é uma solução «séria, credível e realista» para resolver o diferendo sobre o Sahara Ocidental.

«Os Estados Unidos continuam a considerar o plano de autonomia apresentado por Marrocos como sério, credível e realista», afirmou numa conferência de imprensa após uma reunião com o Ministro dos Negócios Estrangeiros marroquino, Naser Burita, conforme relatado pelo diário ‘Le Matin’.

Neste sentido, afirmou que Washington apoia o trabalho do enviado da ONU para o Sahara, Staffan de Mistura, bem como os esforços de manutenção da paz da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO).

A antiga colónia espanhola do Sahara Ocidental foi ocupada por Marrocos em 1975, apesar da resistência da Frente Polisario, com quem esteve em guerra até 1991, quando as duas partes assinaram um cessar-fogo com vista à realização de um referendo sobre a autodeterminação, mas as divergências sobre o recenseamento e a inclusão de colonos marroquinos impediram até agora a sua realização.

A 14 de Novembro de 2020, a Frente Polisario declarou o cessar-fogo com Marrocos quebrado em resposta a uma acção militar marroquina contra activistas saharauis em Guerguerat, na zona de desescalada acordada, que os saharauis consideraram uma violação dos termos do cessar-fogo.

O último revés para os combatentes da independência saharaui foi o apoio do governo espanhol ao plano de autonomia marroquina tornado público a 18 de Março numa carta dirigida ao rei Alaouite, Mohammed VI, uma mudança de posição descrita como uma traição pela Frente Polisario, que recorda que a Espanha continua a ser «de jure» o poder de administração do Sahara Ocidental.

Fonte: (EUROPA PRESS)